Nesse momento de muitas incertezas e de uma crise sem precedentes no setor de turismo, as dúvidas dominam as mentes e os planos de qualquer pessoa. Apoiando centenas de empreendedores, artesãos, condutores e gestores públicos, vimos que o conhecimento é construído no coletivo e a aprendizagem se fortalece na troca. Todo mundo tem algo para ensinar.

Os problemas são complexos e não existem soluções simples. Ao fim de cada dia surge uma nova realidade, tornando mais difícil enxergar o futuro. Qualquer previsão se torna inútil nesse cenário tão caótico, cheio de hipóteses sem qualquer comprovação e com dados distantes do que podemos considerar minimamente confiáveis.

Se não existem respostas ou soluções, o que podemos fazer nesse período?

Foi justamente nas conversas com amigos, clientes, fornecedores e beneficiários dos nossos projetos que percebemos que o melhor a ser feito é favorecer a troca. Precisamos falar! Ser ouvido em um ambiente seguro ajuda a aliviar o stress e resolver problemas. Somos frágeis e justamente nas crises essas fragilidades afloram. E na mesma medida, precisamos ouvir! É importante estar atento às diferentes percepções de mundo e algumas soluções inovadoras vêm ajudando pessoas de realidades socioeconômicas e territoriais diferentes a atravessar esse momento.

Assim surgiu o Webinar: Mudou tudo! E agora? Com muitas horas de planejamento, preparação, treino e mobilização decidimos juntar pessoas em um ambiente adequado para a troca. Nos inspiramos nas dificuldades reais, como as que todos nós vivemos em algum momento da vida – e estudamos o melhor formato para permitir reflexões sinceras.

Convidamos o Douglas Simões, (fundador da Pure Brasil – operadora receptiva focada no mercado internacional – e representante de um dos setores mais afetados) que traz uma visão bem objetiva e sem romance ou poesia: “É um momento duro. Uma crise sanitária e global sem precedente e passar por ela faz parte do processo. Não dá pra chegar no fim da crise antes de passar pelo começo e meio”. Sem nenhuma pretensão de apresentar respostas prontas, tivemos um excelente bate-papo, cheio de reflexões e dúvidas que nos ajudaram a traçar melhor algumas possibilidades.

Foram apenas 75 minutos de bate-papo no dia 23 de abril de 2020 e nesse curto período tocamos em alguns pontos muito interessantes:

  • O momento é de incerteza. As variáveis mudam a cada minuto e saímos dessas conversas com mais perguntas do que respostas.
  • Existem perdas. É doloroso, mas o primeiro passo para a aprendizagem é aceitar a perda.
  • Vamos errar! Independente da nossa situação pessoal, do porte da nossa empresa ou do perfil dos nossos negócios, vamos tomar decisões erradas. Erro e fracasso não são valorizados na nossa sociedade, mas são fundamentais para nossa própria transformação.
  • Crises passam! É verdade que essa crise é diferente, mas não será a última…. Outras crises passaram e algumas delas permitiram bons períodos de crescimento.
  • O foco é a sobrevivência:  nos períodos mais difíceis, as prioridades são revistas. Dependendo de cada realidade e das condições pessoais, identifica-se o mínimo necessário para promover ajustes e atravessar o período.
  • Cada um reage do seu jeito.  Alguns fatores não podemos controlar e somos afetados de muitas maneiras diferentes. Enquanto alguns mudam tudo e se reinventam, outros aproveitam melhor o momento para organizar idéias e processos internos.
  • O importante é aprender! Vivemos um momento de muitas dificuldades e precisamos aproveitar para nos transformar e aprender, senão jogaremos todo o sacrifício no lixo.

Até os governos mais resistentes anunciaram medidas de apoio econômico, o que demonstra uma mudança geral. A crise econômica é grave e no Brasil o foco principal dessas medidas foi a manutenção dos empregos.

No campo empresarial, o foco nesse momento é o fluxo de caixa. Antecipação de receitas, adiamento de despesas (como as tributárias) e empréstimos permitem manter um caixa mais robusto por um período. Esse fôlego temporário deve ser bem planejado e utilizado com critério para manutenção mínima da empresa até a retomada regular das operações.

O setor de turismo, principalmente o segmento de lazer, foi um dos mais impactados pela crise. A gravidade das perdas para nosso setor exigirá muita criatividade, união e articulação para conquistar também medidas específicas de apoio governamental, uma vez que é responsável por cerca de 10% dos empregos gerados em todo o mundo e consegue multiplicar seus efeitos ao distribuir renda nos territórios, segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT).

A partir dessas reflexões, considero que o posicionamento é o principal ativo do período, mesmo nos pequenos negócios, onde a marca é apenas a “cara do dono”. Vivemos um problema de saúde pública e a forma como reagimos a esse problema, pode dizer muito sobre os nossos negócios. Grandes marcas estão apoiando ações filantrópicas e promovendo um consumo mais consciente, que valorize os pequenos negócios locais. Na apresentação, destacamos algumas cervejarias e seus projetos para facilitar a antecipação de receita em restaurantes, bares e botecos.

Pensando nos pequenos empreendedores e artesãos que atendemos, destacamos algumas medidas que podem fortalecer a imagem:

  • Parcerias. A crise é geral e todos os setores serão afetados, o que traz oportunidades para fortalecer relacionamentos. Gestores públicos, fornecedores, clientes e até concorrentes podem unir esforços para encontrar soluções coletivas.
  • Responsabilidade com o entorno. A economia foi afetada em todos os níveis, mas a população mais fragilizada está ainda mais vulnerável. É importante avaliar como podemos valorizar o território onde atuamos, seja pela manutenção dos empregos ou pela oferta de artesanato ou produção local.
  • Transparência. A forma como comunicamos nossas ações afetam a mensagem que queremos transmitir e como nosso público irá recebê-la. É importante manter um canal aberto e direto com funcionários, clientes, fornecedores e parceiros. Como já vimos, não é possível fazer previsões, mas a cada mínima mudança de cenário devemos apresentar quais as as medidas que estão sendo tomadas e como essas medidas afetam essas relações.
  • Visibilidade. O processo de reinvenção exige novas práticas comerciais e busca por diferentes canais de comunicação. A apresentação dos produtos e serviços a novos mercados e outros públicos pode determinar a sobrevivência do negócio.

O mais interessante é que essas reflexões surgiram da troca. Unimos pessoas de realidades diferentes e aprendemos juntos. Médios e pequenos empresários; artesãos e gestores públicos; do Sul ao Norte; com visões complementares para problemas semelhantes.

O isolamento social abriu espaço para lives, e enquanto artistas famosos e seus fãs permanecem em casa, um pequeno café em Serra de São Bento – interior do Rio Grande do Norte – adaptou seu cardápio para entregar petiscos durante esses eventos. Com isso conseguiu manter o funcionamento mínimo do negócio.

A Lili, que trabalha com artesanato em madeira em Juquiá-SP, também se reinventou, desenvolvendo novos produtos, implementando delivery e promovendo rifas para ter um faturamento mínimo e manter suas atividades.

Realmente não dá pra ficar esperando o tempo passar. Para o setor de hospedagem, não há adaptação possível se não há turistas, mas muitos estabelecimentos estão aproveitando para acelerar as reformas e adequações que tanto incomodam os turistas. Outros estão redesenhando processos para um novo momento, com maior rigor na higiene e contatos pessoais mais distantes.

A crise é temporária e as tendências apontadas por especialistas da OMT, há mais de 10 anos, podem se acelerar, conforme sugerido por alguns participantes que acreditam no crescimento do turismo regional e no aumento das restrições para viagens internacionais, como a Antônia de Penedo-AL e o Ronnie de Miracatu-SP.

Por fim, o resultado do webinar foi extremamente positivo. Fizemos uma avaliação e todos demonstraram interesse em participar de novos momentos como esse. Nosso sentimento é de muita gratidão. Além desse pequeno registro, compartilhamos abaixo um link para que possam assistir o webinar e acessar a apresentação das medidas governamentais anunciadas:

http://turismospot.com.br/tudo-mudou-e-agora/

 

COMPARTILHE:
Mauro Coutinho

Mauro Coutinho

Um otimista, fascinado por desenvolvimento sustentável, que utiliza o turismo como ferramenta para que as futuras gerações possam desfrutar de muita qualidade de vida. Entusiasta dos números e tendências, acredita que as informações sempre devem ser analisadas considerando o contexto local, principalmente por meio de conexões pessoais em processos coletivos. Concluiu seu mestrado em Planejamento e Turismo Sustentável na Universidade das Ilhas Baleares (Espanha), atuou em projetos internacionais de desenvolvimento de destinos com a OMT (Organização Mundial do Turismo) e em todas as regiões do Brasil na formação de instâncias de governança. Sobre o Turismo Spot - "Percebo que a gestão do conhecimento em turismo ainda está muito distante da maioria das pessoas. Parabéns a essas mulheres do turismo que idealizaram o Turismo Spot e agradeço o privilégio de poder chamá-las de grandes amigas”

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.