É atribuída a Mark Twain a frase: “Os dois mais importantes dias da sua vida são os dias que você nasce e o dia que você descobre o porquê”. A protagonista da nossa primeira história do Turismo Spot descobriu o porquê de uma maneira bem inusitada. Aliás, ela foi a inspiração para criarmos essa área chamada “o turismo e as pessoas” no portal e foi uma honra poder escrever sua história. O turismo é um setor que depende de pessoas e tem muita gente boa trabalhando para fazer a atividade acontecer! São incansáveis! Queremos mostrar aqui um pouquinho do perfil desses guerreiros do turismo.

Em 1986, uma amiga chamou nossa entrevistada para fazer uma caminhada no Parque Nacional das Agulhas Negras. Foi lá que Kimiko Matsumoto sentiu algo completamente inusitado, que a fez parar e pensar: será que é disso que eu gosto? Detalhe: ela era funcionária de um banco em São Paulo (BANESPA), trabalhando em escritório com atividades administrativas.

A partir daí ela começou a combinar seu trabalho no banco com um part time (03 horas por dia) em uma operadora de turismo. O pagamento? Viagens e mais viagens. Sim! Nossa entrevistada antes de tudo é uma grande turista! Nesse período ela conheceu o Pantanal/MS, Bonito/MS, Ilha do Cardoso/SP, Parque Nacional da Serra do Cipó/MG, Ilha do Marajó/PA, Lençóis Maranhenses/MA, Delta do Parnaíba/PI, Parque Nacional da Chapada Diamantina/BA e muito mais. Alguns são destinos consagrados hoje, correto? Mas naquela época eram locais bastante desconhecidos e, por vezes, pitorescos.

Em maio de 1988 , fez a travessia do Pq.Nacional da Chapada Diamantina até a cidade de Andaraí, cruzando o Parque em dias. Foi uma das experiências mais incríveis. Depois desse trecho fez a caminhada de Trancoso até Cumuruxatiba, percorrendo no total das duas caminhadas 21 dias a bordo de um par de tênis, com mais 3 amigos que dividiu 1 barraca.

         

Acompanhada da timidez que lhe é peculiar, ela nos contou que foi uma das primeiras pessoas a descer o Rio Sucuri em Bonito, a convite do pessoal de lá que trabalhava com o turismo, isso foi no ano de 1992.

A completa transição da atividade bancária para o turismo durou dez anos: desde a primeira viagem até a adesão a um programa de demissão voluntária, em 1997. Nesse meio tempo virou guia da Operadora Free Way, fez o curso de guia de turismo e até criou uma empresa própria durante um ano.

Em 1999 Kimiko se muda para Barreirinhas/MA, porta de entrada dos Lençóis Maranhenses, com a missão de abrir um receptivo turístico. Teve a autonomia que precisava para fazer um trabalho focado na comunidade, desenhar experiências envolvendo e beneficiando as pessoas locais. Alí ela pode aprimorar ainda mais seu cuidado pelas pessoas. Pensava em cada detalhe, horário de chegada dos turistas, a salada do almoço, a maré, a lua, o jantar na casa de pescadores, as comunidades de artesãos… tudo com muito carinho e cuidado. Era uma verdadeira realizadora de sonhos.

Mensalmente ela promovia a caminhada da Lua, que contava com 7 horas de caminhada para chegar no oásis que fica no meio do Parque Nacional, a Queimada dos Paulos, perto da Queimada dos Britos. Um micro povoado com 6 casas, e aproximadamente 25 pessoas. Uma experiência única, que possibilitava a troca de informações entre a comunidade e os visitantes.

Ela não só viu, como capitaneou o desenvolvimento turístico dos Lençóis Maranhenses. O voucher único pelo qual o destino foi premiado em 2018 pelo Ministério do Turismo foi ventilado por ela lá atrás ainda em 2003, quando deu o exemplo de Bonito e conseguiu apoio do Sebrae MA para realizar uma missão técnica ao destino.

Liderou o grupo de empresários que se incorporou ao Programa Aventura Segura da Abeta nos Lençóis e conseguiu levar renomados consultores para apoiar o destino na estruturação do COMTUR em 2006.

A partir de 2012 passou a trabalhar no IABS, onde pode fortalecer outras aptidões. Foi imprescindível para o sucesso do Projeto de Dinamização e Sustentabilidade do Turismo no Baixo São Francisco com sua sensibilidade e capacidade de mobilização local. Ela deixou sua marca no destino Caminhos do São Francisco e em todos os lugares onde passou.

É comum ouvirmos falar da Kimiko em nossas caminhadas profissionais pelo Brasil… Nos destinos em que passou, ela é sempre lembrada com muito carinho e gratidão

Obrigado Kimi por nos contar essa história tão linda de luta e amor pelo turismo! Você nos inspira!

COMPARTILHE:

2 comentários

Deixe seu comentário